Segundo a Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), em 2018, foram realizados mais de 39 milhões de voos em todo o mundo. Com essa enorme quantidade de aeronaves sobrevoando os céus, é mais do que normal que ocorram “congestionamentos” e, consequentemente, atrasos. Além do tráfego aéreo intenso, existem outros motivos que podem atrasar a sua viagem, como: problemas técnicos, condições meteorológicas e até mesmo quando passageiros não são localizados para o embarque.

Se você não passou por esse tipo de problema, certamente conhece alguém que já. Mas, sabia que é mais simples do que você imagina amenizar essa dor de cabeça e ainda recorrer na justiça? Em terras tupiniquins, não importa o motivo que resultou no atraso ou cancelamento, a responsabilidade é sempre da companhia aérea. Em casos de atraso ou cancelamento do voo, você tem direito à diversas assistências materiais, que envolvem desde comunicação, alimentação e até acomodação.

As assistências são oferecidas gradativamente pelas empresas aéreas e vai depender do tempo de espera a partir do momento que houve o atraso ou cancelamento. A partir de 1 hora, comunicação (telefonemas e internet). A partir de 2 horas, alimentação (comidas, bebidas e até voucher). A partir de 4 horas, hospedagem e transporte.

Mas, saiba que você, cliente, tem o direito de decidir qual é a melhor opção de hospedagem ou acomodação e não é obrigado a aceitar qualquer proposta da empresa aérea. O bom senso deve reinar nessas horas, se a empresa aérea conseguiu reagendar o voo para o próximo dia bem cedo, não tem cabimento hospedarem o passageiro num hotel muito distante do aeroporto, vale também o bom senso para os passageiros, não tem motivo exigir uma estadia no hotel mais caro da cidade e na suíte presidencial. Não é mesmo?

Já nos casos de cancelamentos, ainda é comum as empresas aéreas não se prontificaram a ajudar ou até mesmo ocultar do passageiro o direito de escolher voos de outras empresas. O motivo é simples, elas pagam, e caro, para reacomodar os passageiros nas concorrentes. Mas tenha em mente que isso é um direito seu, faça-o valer.

Porém, apesar da lei estar do lado dos passageiros, muitas empresas aéreas insistem em descumpri-la. Por isso, separamos 4 dicas para você saber exatamente como proceder nesses tipos de situação:

Se seu voo atrasar mais de 4 horas ou for cancelado, procure algum responsável da empresa aérea, informe o ocorrido e solicite assistência necessária.

  1. Caso o responsável se recuse a resolver o problema ou não dê a atenção necessária, exija falar com o supervisor de plantão. Toda empresa é obrigada a designar um agente líder ou supervisor para o check in ou o embarque.
  2. Caso o problema não se resolva com o supervisor, procure o escritório da Anac ou o Juizado Especial Cível do aeroporto em que está. Se não conseguir, ligue para Anac no número 163 e registre a reclamação.
  3. Não esqueça de tirar foto do painel e do cartão de embarque e registre tudo o que puder como prova. A justiça deverá ser o caminho, caso seus direitos não sejam respeitados.

Perdi meu voo em uma viagem a negócios

Diferente de uma viagem a passeio, a viagem de negócios exige um planejamento mais minucioso e um cronograma bem definido para diminuir as chances de algo dar errado. Mas como você bem sabe, imprevistos acontecem.

Mas, se acalme, caso aconteça, nem tudo está perdido. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), as passagens aéreas possuem validade de 12 meses a partir de sua data de emissão. Logo, ao perder seu voo, você deve buscar uma negociação para uma nova data do embarque. Entretanto, nem tudo são flores, você vai ter que pagar uma multa. A maioria das companhias aéreas cobram uma taxa de no-show, que é a taxa cobrada quando o viajante deixa de embarcar ou perde o voo sem comunicar previamente a companhia aérea. Normalmente, essa taxa é maior do que as multas de alteração de bilhete aéreo feita com antecedência.

Comunique sua empresa ou cliente

Se não teve jeito e você acabou perdendo seu voo, o primeiro passo é comunicar a empresa ou cliente que lhe aguardava. Assim, você minimizará os danos causados pelo atraso e poderá até reprogramar a viagem.

Tente reagendar o voo perdido o quanto antes

Calma, perder o voo não precisa fatalmente significar o fim da sua viagem. Você pode minimizar o imprevisto procurando imediatamente a companhia aérea e tentar um acordo, que seja bom para ambas as partes. Verifique qual é o próximo voo com lugares disponíveis para o seu destino.

É preciso ter uma certa dose de paciência, já que pode acontecer dos voos seguintes estarem todos lotados. Porém, como dito mais acima, mesmo você decolando em outra aeronave, as empresas aéreas têm o direito de cobrar uma taxa na hora de remarcar a passagem, pelo não comparecimento no voo original. Por outro lado, dependendo da classe em que você vai viajar, existem algumas companhias que não cobram a taxa de remarcação.

O que acontece bastante é que muitas companhias aéreas, além da multa, cobram também uma taxa de remarcação e mais a diferença tarifária entre o valor da passagem inicial e o da nova viagem. Dessa forma, o novo bilhete, muitas vezes, acaba saindo mais caro do que o valor original, o que é considerado uma prática abusiva pelos órgãos de defesa do consumidor.

Se isso acontecer e você se sentir lesado pela cobrança dessas tarifas, não hesite, procure primeiro a empresa aérea e tente fazer um acordo que seja bom para ambas as partes. Caso não cheguem a uma solução viável, o próximo passo é registrar uma reclamação no Procon ou até recorrer ao Juizado Especial de Pequenas Causas. Em hipótese alguma deixe de fazer valerem os seus direitos.

Se você já passou por algum constrangimento ou dor de cabeça envolvendo empresas aéreas, conte seu caso aqui que podemos te ajudar a resolver de forma rápida e sem burocracia. Você não gasta nada e não assume nenhum tipo de risco.

Corra atrás dos seus direitos

Como já dito anteriormente, de acordo com a Resolução nº 141/2010, quando ocorrer cancelamento ou atraso no voo, o passageiro que estiver presente para embarque tem o direito à assistência material: comunicação, alimentação e acomodação. Isso é feito para minimizar o desconforto dos passageiros enquanto aguardam o próximo voo.

Vale frisar que é obrigação da companhia aérea realocar o passageiro em outro voo, mesmo que seja de outra empresa, ou compensá-lo financeiramente, se o atraso for superior a 4 horas. Se essa viagem for profissional e mesmo com a realocação você não consiga chegar a tempo para seu compromisso, a companhia aérea deve compensá-lo financeiramente. Você tem o direito de entrar na justiça e abrir um processo contra a empresa por danos morais e materiais para reaver o prejuízo.

Nos conte seu caso e cuidamos de tudo. Simples, rápido e fácil assim. Quero ser indenizado.