Recentemente, um gigantesco vazamento de dados chamou a atenção dos brasileiros. Segundo descoberto pela empresa de cibersegurança PSafe, cerca de 223 milhões de cidadãos tiveram seus dados pessoais expostos.

De acordo com o IBGE, o Brasil possui hoje uma população de aproximadamente 212,6 milhões de habitantes. Isso significa que até mesmo pessoas já falecidas tiveram seus dados vazados!

No vazamento foram expostos dados como CPF, nome, sexo e data de nascimento. Outras informações como endereço, número de telefone e até benefícios do INSS também foram vazados.

Este é o maior vazamento de dados da história do país, mas certamente não é o primeiro e nem será o último. Com a informatização de serviços, cada vez mais bancos de dados digitais vêm sendo criados. Em 2019, cerca de 164 milhões de brasileiros foram atingidos pela exposição da base de dados de três órgãos públicos.

Apesar disso, muitas pessoas ainda não sabem como proteger seus dados pessoais ou os riscos envolvidos neste tipo de ação. Por isso, separamos algumas dicas para você que se preocupa com a sua privacidade!

Vazamento de dados: descubra como se proteger

A proteção de dados é um tema cada vez mais comum na realidade em que vivemos.

Quais os riscos de um vazamento de dados?

O principal risco em caso de vazamento de dados é a utilização dos mesmos para aplicação de golpes.

Com acesso aos seus dados pessoais, criminosos podem usá-los para cometer uma grande variedade de delitos.

Crimes de falsidade ideológica, como inscrição em programas sociais e saque indevido do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), são os mais comuns. Os criminosos também podem utilizar de seus dados para realizarem cobranças falsas em nome de bancos, financeiras e até do governo.

Quais os riscos de um vazamento de dados?

Criminosos podem se aproveitar dos seus dados pessoais para cometer diversos delitos.

Como protejo minhas informações?

A responsabilidade de resguardar e proteger os dados pessoais dos usuários é de quem os recebe – seja uma empresa ou o governo.

No entanto, é possível diminuir os riscos e dificultar a vida de criminosos com algumas ações:

Monitore suas contas bancárias

Acompanhe regularmente a fatura e extrato de suas contas pessoais, em especial as bancárias. Para isso, recomenda-se o uso de aplicativos do banco em seu celular. Alguns bancos, inclusive, permitem a opção de bloqueio rápido do cartão. Neste caso, uma boa opção é desbloquear o cartão somente no momento do uso.

Acompanhe seu CPF

Conheça a ferramenta Registrato, disponibilizada pelo Banco Central e disponível clicando aqui. Por meio dela é possível realizar a consulta gratuita a relatórios de chaves Pix, empréstimos e financiamentos, contas em banco e outros.

O site da Receita Federal também possui uma área própria para acompanhamentos mais específicos.

Além deles, você também pode checar a utilização do seu CPF em linhas pré-pagas de operadoras no site Cadastro Pré.

Cuidado com golpes virtuais

É de extrema importância checar a confiabilidade dos sites antes de fornecer dados pessoais ou de compra. Procure referências e busque o símbolo de confiabilidade na barra de URL, ao lado do nome do site.

Outra ação fundamental é aprender também a identificar e a ignorar mensagens ou e-mails suspeitos. Recebeu uma ligação que demanda a entrega de dados? Desligue e busque outro contato para confirmar. Só forneça seus dados em situações de confiabilidade assegurada.

Altere suas senhas regularmente

As senhas de suas contas de e-mail e redes sociais podem ser alteradas com frequência, e é importante fazê-lo. Além de ter uma senha para cada conta, outra dica é dar preferência às senhas longas e complexas (variedade de caracteres).

Caso você tenha problemas em memorizar, use um gerenciador de senhas ou anote no bom e velho bloco de papel.

Aposte em prevenção

Instale um antivírus em seu aparelho e, sempre que possível, ative o fator de autenticação de suas contas. Um exemplo: para acessar o seu e-mail, é preciso primeiro digitar um código que será enviado apenas para seu número de telefone via SMS. Desta forma você garante que o acesso não será feito apenas com o uso da senha. O PIN de segurança também deve ser ativado, em especial no WhatsApp.

Cheque se suas informações já foram vazadas

Sites como o IHaveBeenPawned e Fui Vazado possibilitam aos usuários conferirem se tiveram suas informações vazadas.

Cheque se suas informações já foram vazadas

Ações simples e uma mudança de hábitos podem fazer a diferença para evitar dores de cabeça no futuro.

Monitoramento é a chave

Para proteger os seus dados pessoais e a sua privacidade, a palavra-chave é monitoramento. Esteja sempre acompanhando suas movimentações no CPF bancárias. Fique ligado em suas senhas e monitore-as de tempos em tempos.

Neste caso como em muitos outros não foi possível evitar o vazamento de dados em si. É ainda mais importante, então, monitorar as suas atividades online e ficar ligado em quaisquer ações suspeitas. A prevenção é o melhor remédio!