Durante anos das nossas vidas, nos dedicamos ao trabalho e, muitos de nós, passamos um bom tempo planejando e sonhando com coisas que podem vir a acontecer na hora da aposentadoria.

Viagem, cursos e mais algumas atividades de lazer estão nessa lista. Assim, nada mais justo do que tudo ocorrer certo na hora de nos aposentar, ainda mais depois de tanto tempo de espera.

Fotografia de casal de idosos se abraçando e encostando a testa enquanto sorriem. Eles estão numa sala de estar decorada para o natal, e o homem usa um chapéu de papai noel
Muitas pessoas não se dão conta de que podem haver problemas na aposentadoria

Mas algumas pessoas podem acabar agindo no automático e não se dão conta de que alguns problemas podem vir a acontecer nessa situação. Hoje, vamos tratar sobre o risco do valor da aposentadoria não ser calculado de forma exata, gerando uma frustração no beneficiário.

Confira: FGTS: aposentados do INSS podem sacar mensalmente

Por que fazer o cálculo do valor da aposentadoria?

Algumas pessoas podem se enganar quando falamos sobre esse assunto, achando que referimos somente ao valor da aposentadoria.

Porém, o que se trata aqui é sobre o tempo de contribuição que deve ser feito e os anos de trabalho dedicados a esse momento tão esperado por muitos de nós.

Esse é o primeiro passo para que seja possível entender de forma exata qual será o valor total do benefício fornecido pelo INSS que cabe ao recém aposentado.

Fotografia de mesa com montanhas de moeda, teclado de computador e as mãos de uma pessoa escrevendo com um lápis enquanto segura uma calculadora.
É necessário entender que o cálculo é sobre o tempo de contribuição

O cálculo pode ser realizado de forma simples por uma plataforma digital mesmo, o site Meu INSS, disponibilizado pelo próprio Instituto e que vai mostrar de forma simples e exata o valor da aposentadoria em relação ao cadastro que foi realizado no site.

Agora você já sabe que não tem desculpa para dar esse primeiro passo e se manter informado a respeito do seu benefício.

Leia Também: INSS: Demora na aposentadoria pode levar a indenização

Como conferir se o valor está correto

Logo ao receber a carta do INSS com o valor da aposentadoria, é de extrema importância o beneficiário conferir se o valor da concessão está correto para que não te dê dor de cabeça lá na frente. Caso esteja incorreto, pode contestar o valor do benefício na mesma hora.

Antes de entrarmos nas dicas para conferir, é de extrema importância já notificar por aqui que, após as novas regras da aposentadoria, a idade mínima para os trabalhadores darem entrada ao benefício é de 62 anos e 65 anos, para mulheres e homens respectivamente.

Já no setor privado, o tempo mínimo de contribuição é de 15 anos, para ambos, e 20 anos para as mulheres que ainda não haviam se inserido no mercado de trabalho no momento em que a reforma da aposentadoria entrou em vigor em 2019.

Fotografia de mulher idosa trabalhando em casa. Ela tem cabelo liso e grisalho, e usa óculos
O primeiro passo para a conferência é observar a carta de concessão que foi enviada pelo INSS

O benefício, fornecido pelo INSS, vai ser calculado a partir da consideração de 100% dos salários do trabalhador. Ou seja, ao completar a idade mínima de contribuição, os trabalhadores alcançam um valor de 60% do valor total da aposentadoria.

Caso decidam ficar por mais tempo contribuindo, o percentual sobre 2 pontos, a cada ano, até que chegue ao 100% do valor integral da aposentadoria na qual o trabalhador tem direito.

Esse valor não pode ser inferior ao salário mínimo, que é de R$ 1100,00 e o teto é de R$ 6101,06, valor que se tornou mais difícil de alcançar depois que a reforma entrou em vigor.

Para ter mais certeza de como vai ser o resultado final de acordo com o tempo de contribuição individual, o site www.gov.br/inss/pt-br disponibilizou uma calculadora que possibilita esse planejamento anterior, assim como uma forma de certificar o valor recebido.

Sendo assim, o primeiro passo para a conferência é observar com muita atenção a carta de concessão que foi enviada pelo INSS. Nela irão conter todas as informações mais importantes sobre o processo, como o tipo de aposentadoria que cabe ao caso específico de cada trabalhador além do valor bater com o que foi descrito na carteira de trabalho.

Já para quem se encontra na fila para receber a concessão do INSS, o cálculo pode ser realizado, durante o tempo de aguardo, por meio de quanto tempo o trabalhador cumpriu para que o benefício possa ser concedido.

Se, no meio do caminho desses cálculos, o beneficiário perceber e identificar alguma alteração, o mesmo pode contestar esse valor e, até mesmo, não sacar a primeira parcela que foi depositada na conta do aposentado.

Porém, em casos em que o trabalhador abrir mão do benefício oferecido pelo INSS, deverá ocorrer um novo pedido de aposentadoria, já que o antigo processo vai ser arquivado.

Vale a pena deixar bem claro que essa alternativa, de haver desistência do benefício, é indicada somente quando for de receber um valor da aposentadoria bem mais vantajoso.  

O que fazer se o INSS disponibilizar o valor errado

Caso o beneficiário identifique esse erro no cálculo do valor da aposentadoria, o primeiro passo que deve ser tomado pelo aposentado é que um pedido de revisão seja realizado por quem recebe o benefício e, assim, seja realizada uma análise de todos os documentos.

Nesse processo, caso realmente ocorra um erro no valor da aposentadoria, o INSS fica responsável pela análise do período que não foi pago no montante concedido.

A partir disso, será feito o pagamento dos atrasos que ocorreram, que serão as diferenças do valor após a análise e o valor da aposentadoria que veio de forma errada.

Fotografia de fachada de um prédio da Previdência Social, através de uma grade.
Caso seja encontrado erro, não deve ser realizado saque da aposentadoria

Ou seja, primeiramente deve-se conferir na carta de concessão mesmo se está tudo correto.

Caso identifique algum erro no valor da aposentadoria apresentado ali, certifique-se de que há mesmo por meio dos cálculos que foram explicados acima (além da ajuda da página Meu INSS).

Depois disso, se foi certificado que ocorreu um erro no benefício concedido, o aposentado não deverá realizar o saque da aposentadoria nem de outras verbas que podem estar juntas.

Vale lembrar que, além do montante do INSS, também não poderá ser realizado o saque do saldo do FGTS, por conta do PIS da aposentadoria.

Logo após essas medidas primordiais, o segurado poderá iniciar com o processo de recorrer ao processo e alegar uma falha no cálculo do valor da aposentadoria concedida.

Assim, as medidas cabíveis serão tomadas pelo INSS nessa situação para assegurar a resolução do mal entendido e do erro.

Conclusão

Agora que já foi explicado ponto a ponto sobre o processo da aposentadoria, cabe ao aposentado conferir tudo para que nada fique para trás, inclusive parte do dinheiro que poderia estar usufruindo depois de anos e mais anos esperando por esse momento. Nunca é demais para se certificar de tudo está ocorrendo como o planejado.

Leitura Recomendada: Benefícios do INSS: quando é a hora de buscar ajuda especializada para resgatar o meu?