Hotel reservado, bilhetes da Disney comprados, carro alugado e nada da sua mala passar pela esteira. Aos poucos as pessoas ao seu redor vão pegando suas bagagens e seguindo seus rumos. Até agora, nada da sua mala. Já se foram 25 minutos e você começa a ficar preocupado. O desespero vai aumentando à medida que a quantidade de malas diminui. Pronto, só tem você à espera. E agora?

Ter a mala extraviada é um dos piores pesadelos para quem viaja de avião. Além da dor de cabeça de se ter os pertences perdidos, o abalo psicológico que é ficar sem saber o que aconteceu com suas coisas é imensurável.

O Código de Defesa do Consumidor, na maioria dos casos, tem punido severamente as companhias aéreas e beneficiado os passageiros, porém, a diferença mais importante entre as regras internacionais e o Código de Defesa do Consumidor está relacionada às indenizações pelo prejuízo causado. Elas variam de acordo com cada caso, tornando assim impossível estimar um valor médio.

Fiquei esperando e nada. E agora?

Levar um bolo de alguém é ruim, mas ficar esperando a mala e nada dela aparecer é muito pior. Apesar do extravio de bagagem ter caído 70% nos últimos 10 anos, segundo a SITA (Sociedade Internacional de Telecomunicações Aeronáuticas), esse é um problema que ainda ocorre com frequência.

A primeira coisa que você deve ter em mente é: nunca sair da área de desembarque sem comunicar a companhia aérea que a sua mala sumiu. Se ela realmente foi extraviada, o funcionário da empresa aérea que você voou lhe entregará um formulário para preencher. Desse formulário sairá RIB (Relatório de Irregularidade de Bagagem) ou PIR (Relatório de Irregularidade de Propriedade), ainda dentro do aeroporto.

Guarde bem esse documento, ele é a sua chance de ter sua mala de volta. Se possível, tire uma foto desse documento.

Se sua mala se perdeu no caminho, não se desespere!

Não adianta ficar desesperado, isso não vai trazer sua mala de volta. Caso sua mala não apareça imediatamente, fique ciente que você tem o direito de exigir uma compensação financeira para comprar seus itens de necessidade básica. Os valores variam de acordo com as empresas, em voos domésticos essa ajuda de custo chega até a 305 reais.

Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), você tem direito de receber da companhia aérea o valor equivalente ao da sua bagagem extraviada, caso ela não seja devolvida em até 7 dias, para voos domésticos e 21 dias para voos internacionais. Além da empresa ser obrigada a lhe manter informado sobre todas as providências que estão sendo tomadas para resolver o problema.

Dicas para evitar o perrengue

Perder a mala é um péssimo jeito de começar ou terminar uma viagem. Por isso, existem algumas dicas para quem quer evitar a dor de cabeça da mala extraviada. A primeira e mais importante é: jamais despache objetos de valor na mala. Eletrônicos, joias, documentos, dinheiro e outros objetos valiosos podem e devem ser transportados sempre na mala de mão junto a você.

Outra dica importante é personalizar a sua mala colocando acessórios chamativos, que tornem sua bagagem única. E tirar todas as etiquetas de viagens antigas, assim você diminui os riscos da sua mala ser levada para outro voo.

E por último, mas não menos importante, faça um seguro que cubra os danos para extravio de bagagem, assim você diminuirá um pouco a dor de cabeça numa eventual perda.

Planejar com antecedência sua viagem também pode diminuir os riscos de sua mala ser extraviada. Voos com escalas são mais comuns desse incidente acontecer. Por isso, tente comprar passagens de voos com conexões pela mesma companhia aérea.

O truque é conhecer as regras!

Você sabe quantas malas pode levar em voos nacionais e internacionais? E o peso e tamanho da bagagem? Para tirar suas dúvidas e saber mais sobre as regrinhas leia o nosso artigo em que tiramos suas dúvidas sobre Bagagens em Aviões, lembre-se, é extremamente importante conhecer como funciona esse universo.

É bom tirar as dúvidas com sua companhia aérea, uma vez que, para cada destino as regras mudam. Por exemplo, nos voos para nossos vizinhos da América do Sul é permitido apenas uma mala de 20 kg. Já para os Estados Unidos e Europa, é permitido até duas malas com até 32 kg cada. Já em voos domésticos, cada passageiro tem direito a 23 kg.

Por ser um ambiente bastante dinâmico, é comum mudanças ocorrerem com certa frequência. Sendo assim, em caso de dúvidas, entre em contato com sua companhia aérea alguns dias antes da viagem.

O que pode levar?

Muita gente fica na dúvida sobre o que pode e o que não pode levar na bagagem durante a viagem. Por questões de segurança, são as normas internacionais que determinam quais itens são proibidos no transporte aéreo. Porém, há itens que são permitidos serem transportados exclusivamente na bagagem despachada e não são permitidas serem levadas na bagagem de mão.

Antes de tudo, é preciso entender que existem 2 tipos de bagagens numa viagem de avião, que são: bagagem despachada e a bagagem de mão.

  1. Bagagem de despachada: são as malas de tamanho maior, que vão no bagageiro do avião. São aquelas que você entrega quando faz o check-in na hora do embarque. Nesse procedimento é gerado um comprovante que deve ser guardado muito bem, para comprovar que sua mala embarcou, caso a mala não chegue ao destino.
  2. Bagagem de mão: essa é a mala que você leva dentro do avião. Todo passageiro tem direito de levar consigo uma mala, bolsa ou mochila com seus pertences pessoais e itens importantes, como dinheiro, remédios e eletrônicos. Na hora do check-in, essa bagagem pode ser pesada ou medida pela empresa aérea, para averiguar se a mesma se encontra nos limites estabelecidos pela lei. Além disso, ela passa pelo raio-x e pode até ser inspecionada pela polícia, caso exista necessidade ou você seja sorteado.

Saiba que as normas para o transporte de diferentes tipos de itens variam de acordo com a política de cada companhia aérea e do país para o qual se viaja. Outra coisa importante é ter a ciência de que os agentes de segurança do aeroporto têm o direito de solicitar a remoção de quaisquer itens da sua bagagem de mão ou despachada.

Na bagagem despachada o leque de itens permitidos é enorme, com exceção de materiais explosivos/inflamáveis e substâncias químicas/tóxicas. Já na bagagem de mão, segundo a Anac, além dos itens proibidos na despachada, também não são permitidos armas, objetos pontiagudos, ferramentas e bagagem especial (dependendo das dimensões).

A polêmica das bagagens inteligentes - smart luggages

Você já ouviu falar das bagagens inteligentes? Elas chegaram revolucionando a vida dos viajantes do mundo inteiro. Com 3 funções incríveis: cadeado Bluetooth, bateria íon-lítio, capaz de carregar seu smartphone e, capacidade de rastreamento. A trava é conectada ao seu smartphone e fecha assim que você se afasta da mala. Através do aplicativo é possível localizar sua bagagem em tempo real. Já a bateria de íon-lítio instalada no interior da smart luggages, permite recarregar seu smartphone e outros aparelhos.

Porém, essas bagagens inteligentes começaram a ser proibidas em diversas companhias aéreas. O motivo é surpreendente. Essas mesmas baterias que chegaram para salvar nossas vidas, com seu inovador sistema que permite recarregar nossos smartphones, são as grandes vilãs nessa história. A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que representa as maiores companhias aéreas do mundo, apontou que essas baterias milagrosas de íon-lítio podem causar incêndios espontâneos, ou seja, são um perigo para a segurança.

As companhias aéreas aqui do Brasil também tomaram suas providências. Novas políticas para as bagagens inteligentes foram criadas e, desde que as baterias de íon-lítio sejam removíveis, é possível embarcar com esse tipo de bagagem.