Quando se pensa em viajar pelo mundo, alguns lugares com certeza surgem na nossa cabeça. É normal todo mundo querer conhecer os lugares mais famosos. Os vistos em filmes, ou aqueles que foram palco de grandes momentos na nossa história.

Sejam eles bons ou ruins, esse grande fluxo de pessoas em um mesmo local pode não ser uma boa para uma viagem, que tem tudo para ser legal. O turismo em massa pode ser ruim, tanto para quem viaja, como para o lugar.

Por isso, vale a pena conhece uma rota alternativa. Existem lugares que possuem tanta história como as mais famosas e que não recebem tanta demanda de pessoas.

Com elas dá pra fazer uma viagem pelo mundo que será autêntica e cheia de boas experiências. Sem empurra-empurra, grandes filas para visitar um monumento ou fotografar e ainda dá pra tirar uma onda, vai?

Você conheceu uma rota alternativa e não um lugar que já é “carta marcada”? Muito mais história pra contar, não é?

Destinos Menos Movimentados

A CNN listou várias rotas alternativas não tão visadas para viajar pelo mundo e a gente fez uma seleção com as melhores. Essa é a sua chance de conhecer lugares que ainda não estão na lista do turismo de massa. Aproveite!

Ancara, Turquia

Ancara recebe o posto de segunda maior cidade da Turquia, além de ser a capital. Ela foi construída às margens do rio Enguri Su. Durante sua história foi ocupada por diferentes povos. Lá tem vários sítios arqueológicos, de grupos e impérios, como Hititas, Otomanos, Romanos e Bizantinos.

Em Ancara você encontra lugares incríveis para visitar como o Mausoléu de Ataturk, a Mesquita Kocatepe, o Monumento de Ancira e o Museu das Antigas Civilizações da Anatólia.

Antuerpia, Bélgica

Com quase 500 mil habitantes, a maior cidade da região de Flanders e a segunda maior cidade da Bélgica. É conhecida como a Capital Mundial dos Diamantes, por ser responsável por 70% do comércio mundial desse mineral, pra lá de precioso.

Além disso, a Antuérpia é o principal polo de moda da Bélgica, tanto que o Momu, museu totalmente dedicado à moda, fica por lá.

Com uma arquitetura de cair o queixo, a Antuérpia tem a Estação Central, a Catedral de Nossa Senhora, um dos zoológicos mais antigos do mundo, dentre outras atrações que esperam por você, em uma rota alternativa cheia de emoção.

Berna, Suíça

Pensou que a capital da Suíça era Zurique, não é? Tudo bem, é um erro bem comum. Mas, na verdade, a capital suíça é Berna. A cidade tem seu centro histórico como Patrimônio Cultural da Humanidade, de acordo com a Unesco.

Foi em Berna que o nosso queridinho da física Albert Einstein desenvolveu a famosa Teoria da Relatividade. Inclusive, a casa que ele morou virou um museu. Que rota alternativa dá você a chance de conhecer a casa de Einstein, não é mesmo?

Erevan, Armênia

Além de ser a capital da Armênia, Erevan é uma das cidades mais antigas continuamente habitada do mundo. São quase 3 mil anos de história para você descobrir, em um lugar que reserva muita coisa boa. Quer ver?

É em Erevan que você encontra o Museu do Genocídio, Museu de Manuscritos Antigos, o Memorial do Fogo Eterno, além de conhecer a Praça da República e o Museu de história da Armênia e o Parque Lovers, para relaxar com a família. Sua viagem cheia de cultura e bem longe do turismo de massa pode ser nessa cidade.

Haia, Holanda

Está aí um lugar muito incrível, que ainda é bem subestimado pelos turistas na hora de viajar pelo mundo. Pois bem, a sede do governo holandês pode surpreender você até mais do que Amsterdã.

A cidade conta com monumentos incríveis, bairros históricos e ainda tem uma localização privilegiada perto da costa do Mar do Norte. Tem o Madurodam, que é a cidade em miniatura, o parque de diversões Drievliet, para curtir com a família, o Museu do portão da prisão, a Real Galeria de Arte Mauritshuis e o Museu Municipal de Haia.

Uma rota alternativa dessas, hein? Vale a pena dar uma atenção quando for decidir para onde vai viajar.

Pristina, Kosovo

É Pristina e não Cristina, tudo bem? Capital e maior cidade do Kosovo, está aí uma cidade que passa longe do turismo de massa, além de ser uma cidade bem descolada para o pessoal mais jovem. Não é à toa que recebe o título de capital mais jovem da Europa. Pristina é uma cidade bem segura, mesmo que ainda guarde resquícios históricos da guerra.

Vale a pena conhecer algumas das principais atrações locais, como a Torre do Relógio, bem como o Museu Etnográfico. Sem falar que ainda dá para se aventurar pelas mesquitas mais antigas da cidade.

Sarajevo, Bósnia

Bom, tem destinos na Europa que a chance de muitas pessoas terem a mesma ideia de conhecer ao mesmo tempo é óbvia. Sarajevo não é um deles. A capital da Bósnia cheia de influência otomana é adornada de zonas verdes, vistas deslumbrantes, comidas e bebidas extraordinárias e uma rica história. Tem resquícios de um passado multicultural, com mesquitas, catedrais e sinagogas.

A cidade ainda é marcada por uma rápida recuperação econômica e cultural, após todas as perdas ocasionadas pela guerra. Mas, conta com belezas naturais que vão deixar todos impressionados de tanta paisagem maravilhosa.

Torino, Itália

Ah, bambino! Está achando que Itália é só Veneza, Roma e Milão? Nada disso! Tem lugar bom e distante do tumulto para conhecer. Pra quem é fã de futebol, com certeza já ouviu falar da Juventus de Turim, que conta com jogadores como Dybala, Cristiano Ronaldo e Higuaín. Sim, Torino e Turim são uma coisa só.

Em Torino você pode passear pelo Piazza Castello ou ver toda a cidade do alto, pela mole Antonelliana ou então dar uma descansada no Parque do Valentino. Torino é um polo gastronômico e cultural que vale a pena conhecer quando for viajar pelo mundo.

Aberdeen, Escócia

A cidade é um lugar menos visado para conhecer quando se vai à Escócia. Mas, isso não quer dizer que é ruim, muito pelo contrário. Afinal, reunimos aqui lugares fantásticos, que o turismo de massa ainda não atingiu e que pode ser uma excelente escolha quando for escolher o seu próximo destino. Aberdeen é a linha de partida para conhecer o Dunnottar Castle, que é um forte em ruínas.

O Marischal College vai impressionar quem for passear pelas ruas da cidade. Imagina o trabalho que deu uma construção toda feita em granito? Lá você encontra a prefeitura e a igreja medieval Kirk of St. Nicholas.

Aarhus, Dinamarca

A segunda maior cidade dinamarquesa tem atrações que podem ser totalmente conhecidas em um trajeto a pé. Que loucura, não é mesmo? Tem como destaque o ARoS Aarhus Art Museum, nome complicado que reserva uma passarela e um mirante com cores do arco-íris.

Outro ponto bem interessante é o preço das estadias. Ficar por lá é cerca de 30% mais barato do que ficar em Copenhague. A pequena grande cidade (como brincam por lá) é um lugar repleto de festividades.

Com certeza, uma rota alternativa, para fazer diferente quando for viajar pelo mundo. Uma boa para evitar o turismo de massa.

Com essas dicas fica mais tranquilo fugir do comum e poder reunir experiências verdadeiramente únicas, não é?