Uma das profissões mais procuradas pelos estudantes brasileiros é a profissão de advogado. Tanto que existem inúmeras faculdades que ofertam o curso de direito e, por ano, mais de um milhão de alunos se matriculam nessa graduação (dado referente às matrículas em 2018).

E existem várias causas para isso. A começar que o curso possui um certo renome, é bem visto pela sociedade, além de trazer um certo status e a sensação de que será bem sucedido. Além disso, por ser um curso de humanas, muitas pessoas procuram a graduação já que não terão contato com a vilã do ensino básico, a matemática.

Mas o ingresso na faculdade de direito é apenas o primeiro obstáculo para quem deseja seguir a carreira jurídica. Após a conquista do diploma, os desafios continuam vindo sem parar. Aprovação no exame de ordem, experiência, networking e muito mais… E, o início será cercado de muita luta, salários baixos e serviços intensos até poder usufruir da parte famosa da profissão.

Você que deseja seguir a profissão de advogado, já parou para analisar o caminho que é preciso construir até lá? Já pensou quais são os obstáculos e o que você encontrará? Neste artigo você vai encontrar alguns dos desafios da profissão e algumas dicas para conseguir trilhar melhor a sua futura brilhante carreira.

Quais são as opções para quem deseja seguir a carreira jurídica?

A formação em direito é bastante ampla e oferece diversos segmentos e áreas para o profissional. É possível seguir alguns caminhos, que são a carreira jurídica, a carreira pública ou a carreira no magistério.

Quem deseja seguir a carreira jurídica e no setor privado, vai atuar como advogado em diversos ramos do direito, como a área criminal, familiar, trabalhistas e tributária. Ou seja, o profissional que escolher o setor privado irá atuar em processos ou com consultorias. Esse é o famoso advogado mesmo, que vai para frente do juiz e defende seu cliente. Quando se pensa em advogado, é essa imagem que vem a cabeça.

Já quem decide seguir a carreira jurídica no setor público, será preciso se dedicar aos concursos públicos. Apesar de estarem em baixa agora, existem inúmeras alternativas de concursos para quem deseja seguir a carreira pública.

Com o concurso público é possível se tornar um advogado público, defensor público, juiz de direito, promotor de justiça  e procurador do estado. Além de diversas outras carreiras. Para isso, é importante manter os estudos constantemente para os concursos, mesmo quando o edital ainda não foi liberado.

Já para quem deseja seguir a carreira no magistério é necessário dar continuidade aos estudos, fazer um bom mestrado e doutorado na área. É possível seguir carreira acadêmica tanto no setor público quanto no setor privado.

6 desafios da carreira jurídica

Como visto, a carreira jurídica possui um enorme leque de segmentos e cada um precisa de escolhas e dedicação únicas. Para quem deseja seguir no setor público, é necessário se dedicar aos estudos e concursos. Para o magistério, é importante investir na academia e a educação.

E para quem seguir a carreira jurídica no setor privado? O que é preciso fazer? Pois bem, quem está nesse grupo é preciso se atentar a diversas coisas e desde o início.

No Brasil, a profissão de advogado é altamente concorrida. O país é o terceiro no mundo com mais profissionais na área e todo anos, mais de 80 mil pessoas conquistam um diploma de direito e se tornam bacharéis. Então, para se destacar e alcançar um espaço nessa área altamente cobiçada é preciso tomar algumas ações logo no início dessa jornada, como a escolha da instituição. A seguir, você encontra alguns pontos e dicas importantes para te auxiliar nesse caminho.

A escolha da faculdade

Muitas pessoas entram no ensino superior apenas por precisarem de um diploma e assim não ligam muito para a qualidade da instituição. Esse é um erro muito grave para quem quer seguir na profissão desejada. Já outras pessoas já vão decididas e com o futuro planejado. Caso você já tenha feito a escolha de seguir a carreira jurídica é muito importante valorizar a escolha da instituição.

Esse é o primeiro passo quem deseja construir uma boa carreira jurídica. A qualidade dos professores e as oportunidades extracurriculares, como palestras e cursos que as boas faculdades costumam oferecer durante a graduação, irão fazer diferença no futuro profissional.

Sem falar que nos últimos anos houve um sucateamento de muitos cursos de direito no Brasil. Inúmeras instituições oferecem o curso de forma precárias e não atendendo aos básicos e importantes para a formação do profissional. Por isso a escolha da instituição é extremamente importante.

Nos últimos 20 anos, mais de mil novos cursos de direito foram criados no país. E infelizmente, a grande maioria não oferece um ensino suficiente e bom ao aluno.  Atualmente, dos mais de 1500 cursos de direito espalhados pelo país, apenas 161 possuem o selo de recomendação da OAB. Para saber quais instituições possuem esse reconhecimento, basta clicar aqui.

Ser aprovado na OAB

Sem carteirinha da OAB não tem como exercer a profissão de advogado. E, com a banalização do ensino nos últimos anos, isso acabou se tornando um grande desafio para os alunos. Tanto que apenas 20% dos candidatos conseguem ser aprovados no exame. E dessa forma muitos procuram cursinhos preparatórios para conseguirem a temida aprovação.

Mas, é preciso lembrar que a escolha da faculdade faz a diferença nisso. O exame é como se fosse um “simulado geral” do que foi passado ao aluno durante a graduação. Então, quem se dedicou ao curso e teve uma boa formação, deveria ir bem no exame.

É importante frisar que a partir do 9º período na faculdade já é possível conquistar a carteirinha. Então, não deixe para a prestar o exame só após a conquista do diploma. E se possível, faça algumas tentativa antes, como um teste para se familiarizar com a prova em si e tirar aquele peso das costas.

Ah, mesmo com a aprovação no exame de ordem, só será possível exercer a profissão de advogado após o término da faculdade.

Procure estágio para a área jurídica

Muitos alunos acabam fazendo estágio em órgãos públicos durante a graduação, já que eles oferecem um salário interessante pela quantidade de horas exigidas de trabalho. Sem falar que costumam ser mais maleáveis quanto aos horários.

Mas, se você deseja seguir a carreira jurídica é importante procurar um estágio em um escritório de advocacia para ir ganhando experiência. Além disso, você aprende como é a rotina de um profissional e já começa a construir seu networking.

Para isso, pode ser necessário não pensar na bolsa do estágio… Então, se você tem condições financeiras para fazer um estágio não remunerado, não deixe de tentar. Às vezes, os grandes escritórios nem oferecem vagas assim, mas se tiver disposição, bata na porta e se ofereça para estagiar voluntariamente.

Entretanto, só faça isso quando tiver um pouco de vivência no curso, cursos extracurriculares e outros aperfeiçoamentos. É preciso mostrar que além de vontade de aprender você já possui um certo conhecimento. Afinal, chegar totalmente cru para um estágio é a certeza de que você aprenderá pouco e poderá até se frustrar com a profissão.

Outra boa dica para buscar estágios em boas empresas é durante cursos e palestras. É possível conversar com o palestrante e pegar o contato para uma futura oportunidade. Então, não deixe de participar desses momentos acadêmicos, já que eles oferecem oportunidades além do conhecimento.

Não se iluda: é preciso muito esforço

Algumas pessoas acabam escolhendo a profissão por considerarem a advocacia glamourosa e na ilusão que irão conseguir bons salários o quanto antes. Pois bem, é preciso ralar muito para chegar nesse nível. Assim como todas as profissões, é possível sim ter um bom salário sendo advogado. E assim como em todas as outras profissões, é preciso trabalhar muito para isso.

É comum as pessoas verem profissionais bem sucedidos e esquecem do caminho percorrido para chegar nesse nível. Acabam achando que apenas o diploma foi suficiente para o sucesso. Entretanto, não é assim que as coisas acontecem.

A conquista do diploma não significa que o sucesso chegará. É apenas o primeiro passo. Depois será preciso batalhar muito até criar seu nome. E isso vai acontecer depois de muitos anos de trabalho e esforço. Então, não se iluda achando que a profissão é sinônimo de glamour e dinheiro.

Cuide de sua imagem e aparência

Um advogado é a imagem dele. Então, use roupas apropriadas ao profissional que você é. Não precisam ser roupas caras e nem de marcas. Mas sim roupas que vestem bem e que passam a imagem de um bom profissional. No caso dos homens, é possível achar ternos a preços acessíveis e que vestem bem. Já no caso das mulheres, tente passar o ar de formalidade.

Comece a fazer essa mudança ainda na graduação. Lembre-se que seus professores muitas vezes estão na área e podem te ajudar além da sala de aula. Então, é preciso passar a imagem de um bom profissional ainda na faculdade ou até mesmo durante o estágio.

Construa seu networking

Hoje em dia, é um ponto importante para todos os profissionais, seja qual for a área. Com o mercado cada vez mais cheio de profissionais e menos oportunidades é preciso construir boas relações com os profissionais e com os colegas de faculdade.

Então, construa sua rede de contatos. Isso vai ser feito dentro da sala de aula e fora dela. Muitos professores atuam como advogados, empresários e até como consultores. Tente construir uma boa relação com os professores, sem se esquecer de mostrar eficiência na matéria durante o período.

Por isso, nada de ser apenas mais um na sala de aula, se esforce ao máximo e busque um lugar de destaque. E, lembre dos colegas de turma também. Em breve, vocês irão se tornar colegas de profissão.

Tente ser lembrado por todos, mas não só como uma pessoa legal, mas também como um bom profissional sério e dedicado. Durante as aulas evite chegar atrasado, ir mal vestido ou esquecer materiais. Pois, como falado, o professor faz parte do networking. E, caso ele precise de alguém ou indique algum aluno para outra empresa, ele irá lembrar desses alunos, que de alguma forma parecem ser bons profissionais.