Com o objetivo de organizar e estabilizar as relações sociais por meio da legislação, o Direito é uma das áreas do conhecimento mais tradicionais, reconhecidas e promissoras em todo o mundo – e mais ainda no Brasil.

Você sabia que nosso país possui o maior número de cursos de Direito oferecidos por instituições distintas em todo o mundo? São mais de mil faculdades ou universidades oferecendo o curso em todo o território nacional!

Tanta oferta se deve à alta demanda pelo curso, impulsionada pela grande variedade de carreiras, amplo mercado de trabalho e bons salários. Quem está em busca de uma graduação com certeza já se deparou com o queridinho das ciências humanas como uma das opções.

Com tantas possibilidades, é normal sentir um pouco de insegurança na hora de decidir uma carreira. É importante buscar muitas informações sobre sua área de interesse e pesquisar bastante sobre a graduação e o mercado de trabalho. Por isso, separamos tudo o que você precisa saber sobre como é o curso de Direito. Confira!

COMO É A ESTRUTURA DO CURSO?

No Brasil, o curso de Direito precisa seguir as diretrizes do Ministério da Educação (MEC). O MEC estipula que o curso deve ser oferecido na modalidade bacharelado com duração de 10 semestres, o equivalente a 5 anos.

No primeiro ano são ofertadas disciplinas mais gerais, como termos técnicos, sociologia e ferramentas introdutórias para a carreira. É a partir do segundo ano que se iniciam as disciplinas mais específicas e os alunos passam a se aprofundar mais no estudo do Direito.

Além da carga horária em sala de aula, a maior parte das faculdades também exige a participação em um estágio, o cumprimento de horas complementares e a apresentação de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) como parte integrante do curso de Direito.

Tudo isso deve ser realizado presencialmente, visto que não é possível realizar o curso de graduação via Ensino à Distância (EaD). A modalidade está disponível apenas quando se trata de cursos de especialização ou pós-graduação.

Outra informação importante é que, além do diploma, quem deseja atuar no mercado de trabalho como advogado precisa realizar e ser aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Como surgiram muitos cursos de Direito ao longo dos anos, o exame foi criado para garantir que os estudantes formados sejam capazes de atuar na área.

QUAIS HABILIDADES EU PRECISO TER?

Uma pergunta muito comum entre vestibulandos e aqueles que estão escolhendo suas carreiras é: será que esse curso é mesmo para mim? Que tipo de habilidades eu preciso ter para ser um bom profissional da área do Direito? O meu perfil combina com o Direito?

Em primeiro lugar, nós temos uma boa notícia para você: fique tranquilo. Nossas habilidades atuais sempre podem ser trabalhadas e melhoradas. Se você sempre sonhou em cursar Direito, admira os profissionais da área e quer seguir a carreira, você pode. Basta se dedicar!

Mas antes de trilhar esse caminho, é importante estar ciente do que te espera e ponderar se o Direito realmente é o que você quer. Por exemplo: se você não gosta de ler, talvez a área não seja o melhor para a sua carreira. Afinal de contas, a ciência do Direito cuida da aplicação das normas jurídicas – e elas são muitas! Ao longo do curso, o aluno irá esbarrar com diversos códigos, cada um maior do que o outro.

Além disso, quem deseja se tornar um profissional da área precisa desenvolver algumas habilidades. A capacidade de argumentação, o pensamento crítico e analítico, e a competência para solucionar problemas são três características essenciais que todo estudante de Direito precisa desenvolver durante o curso para se tornar um bom profissional.

Isso sem contar, é claro, a capacidade em estar sempre ligado às mudanças ou atualizações de conceitos jurídicos. Essa habilidade está ligada também à necessidade do profissional de Direito em manter-se atualizado dos fenômenos sociais, políticos, culturais ou àqueles ligados à sua área de atuação.

O QUE VOU APRENDER NO CURSO DE DIREITO?

O curso de Direito tem como objetivo capacitar estudantes a analisar, interpretar e aplicar as normas jurídicas vigentes a fim de organizar as relações sociais perante à lei.

Para isso, os estudantes precisam se especializar no estudo da legislação, mas também serem aptos a compreender fenômenos da filosofia, sociologia, economia, ciência político e muitas outras disciplinas. Durante o curso, é normal que o estudante tenha mais aulas teóricas do que práticas. Mas é claro: tudo isso depende da faculdade escolhida.

O Ministério da Educação disponibiliza as diretrizes curriculares do curso, ou seja, tudo o que um curso de Direito em qualquer lugar do país precisa ensinar. O MEC divide os conteúdos em dois eixos: formação fundamental e formação profissional.

O eixo de formação fundamental tem como objetivo integrar o Direito às demais áreas do saber, buscando mostrar aos estudantes as relações que o Direito estabelece com a sociedade. As disciplinas base do eixo são:

  • Ciência Política (Teoria do Estado)
  • Economia
  • Filosofia (geral e jurídica)
  • Ética (geral e profissional)
  • Sociologia (geral e jurídica)
  • Introdução ao Direito

Vale lembrar que isso é o mínimo! As faculdades podem incorporar ao eixo fundamental outras disciplinas que julgarem relevantes para a formação profissional. Disciplinas como História do Direito, Psicologia Jurídica e Hermenêutica Jurídica são algumas das mais comuns aos currículos de diversas instituições.

Como o próprio nome já indica, o eixo profissional faz referência às disciplinas voltadas para o conhecimento e aplicação do Direito. As disciplinas obrigatórias são:

  • Direito Administrativo
  • Direito Civil
  • Direito Comercial
  • Direito Constitucional
  • Direito Internacional
  • Direito Penal
  • Direito Processual
  • Direito do Trabalho
  • Direito Tributário

É preciso que cada uma destas matérias capacite o aluno a compreender não só a legislação da área, mas também como relacionar os conteúdos àqueles apresentados no eixo fundamental. Ou seja: o ideal é aprender não só como o Direito funciona, mas também como ele se relaciona com a sociedade.

Da mesma forma que no eixo fundamental, outras disciplinas podem ser adicionadas à grade curricular do curso. Diversas faculdades incluem matérias como Direito Ambiental, Direito Eleitoral e, mais recentemente, Direito Digital.

Apesar disso, cada instituição possui sua maneira de ensinar, corpo de professores e grade curricular específicos. Por isso, pesquise bastante antes de decidir a sua e escolha a que for melhor para a sua realidade!

AS DEZ MELHORES FACULDADES DE DIREITO

Escolher onde cursar o Direito não é uma tarefa fácil. Como já falamos, existem mais de mil instituições de ensino oferecendo o curso – a oferta é enorme! É preciso levar em conta fatores como: grade curricular; corpo docente; nota no ENADE; desempenho no exame da OAB; sem contar fatores pessoais, como distância de casa, preço, perfil do aluno e outros.

Para te ajudar na sua escolha, separamos as dez faculdades de Direito mais renomadas do país segundo o Ranking Universitário da Folha de São Paulo (RUF). O RUF leva em conta critérios como o desempenho no exame da OAB, os docentes da instituição, qualidade de ensino e mercado de trabalho. Confira abaixo!

As melhores faculdades de Direito segundo a Folha de São Paulo em 2019:

  • Universidade de São Paulo (USP)
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP)
  • Universidade de Brasília (UnB)
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

O ranking pode ajudar na sua escolha, mas lembre-se: o principal fator para uma graduação de qualidade é o seu esforço! Qualquer instituição pode formar um profissional de qualidade desde que o aluno busque sempre dar o seu melhor e dedicar-se aos estudos.

EM QUE ÁREAS POSSO ATUAR?

Um ponto muito positivo de escolher o caminho do Direito é a vasta gama de opções profissionais que ele oferece. Existem três grandes áreas de atuação: a advocacia, a carreira jurídica pública e a carreira acadêmica.

Cada uma delas, porém, divide-se em vários ramos de atuação – você viu como o currículo específico da área é extenso, não é? Como são muitas opções, faremos apenas um pequeno resumo com alguns exemplos de caminhos profissionais na área do Direito.

Advocacia

Quem se forma em Direito pode optar por tornar-se advogado e especializar-se em um dos vários ramos da área. Para atuar no mercado de trabalho como advogado é preciso, além do diploma de ensino superior, realizar e ser aprovado no exame da OAB.

Existem diversos ramos possíveis a serem seguidos dentro da advocacia. Algumas áreas mais comuns, por exemplo, são o Direito Penal, que cuida da acusação ou defesa de crimes contra organizações e pessoas, e o Direito de Família, especialidade do Direito Civil que trata das obrigações e direitos decorrentes das relações familiares, como os estudos casamento, tutela e guarda.

Carreira Jurídica Pública

Outra grande área de atuação para os formados em Direito é seguir a carreira jurídica pública. Quem segue este caminho são aqueles que atuam em órgãos públicos por meio de defesas, conduzindo investigações, tomando decisões ou fiscalizando o cumprimento das leis.

A carreira jurídica pública apresenta, por exemplo, as seguintes possibilidades: Magistratura, Advocacia Pública, Defensor Público, Promotor de Justiça, Procurador e Delegado.

Para quem desejar seguir este caminho, o bacharel em Direito é apenas a primeira etapa. O ingresso nestas profissões requer a aprovação em um concurso público – e todos sabemos como eles altamente são concorridos, não é?

Além disso, apesar da maioria das ocupações da área não exigirem a licença para advocacia, muitas deles requerem experiência prévia como advogado. Ou seja: muitas vezes será necessário passar pela estrada da advocacia antes de seguir a carreira jurídica.

Mesmo com tantas dificuldades, a carreira jurídica é o que faz brilhar os olhos de milhares de estudantes de Direito em todo o país. As profissões costumam ser muito cobiçadas devido às altas remunerações e estabilidade da carreira pública.

Um juiz federal, por exemplo, possui uma média salarial de R$ 25 mil (sem contar os benefícios) e uma jornada de trabalho que varia entre 30 e 40 horas por semana. Para muitos, essa é a definição de sonho profissional. Mas saiba que, para chegar até lá, é preciso muito esforço, estudo e dedicação.

Carreira Acadêmica

Com tantas faculdades de Direito espalhadas pelo país, nada mais natural do que encontrar a docência como um dos principais caminhos para os formandos em Direito.

Além da docência, a carreira acadêmica também engloba aqueles que querem trilhar seu caminho profissional como pesquisadores.

Para isso, é preciso que o aluno realize uma pós-graduação stricto senso (mestrado e/ou doutorado) após a finalização do curso de Direito. É possível atuar tanto em faculdades privadas quanto em universidades públicas – lembrando que, da mesma forma que a carreira jurídica, a carreira acadêmica pública também requer a aprovação em um concurso.

E O MERCADO DE TRABALHO?

Que existem muitas opções profissionais você já sabe. Mas e o mercado de trabalho, será que é amplo e bom o suficiente para compensar os anos de estudo e esforço?

A verdade é que não existe uma resposta correta para essa pergunta. Há muitas oportunidades de trabalho para os bacharéis em direito e este número cresce a cada dia. No entanto, a cada ano também cresce o número de formados em Direito.

Por isso, é importante buscar experiências profissionais e acadêmicas desde o início da graduação e especializar-se na sua área de escolha. Como em qualquer área, o ditado popular prevalece: para o bom profissional nunca faltam oportunidades.

MITOS E VERDADES

Agora que você já sabe como funciona o curso de Direito fica mais fácil identificar os mitos e verdades em torno dele – e acredite, são muitos! Vamos aos principais?

“Quem estuda Direito ficará rico no futuro”

MITO! Como em toda profissão, existem aqueles que conseguirão alcançar salários altos e outros que não. No Direito não seria diferente. Da mesma foram que há advogados ganhando R$ 1,200 ao mês, existem aqueles que recebem mais de R$ 100,000 mensais. Tudo depende da sua trajetória profissional.

“A rotina de um advogado é muito parada”

MITO! E esse não poderia ser menos verdades. Apesar do estereótipo em torno das profissões “terno e gravata”, a rotina de um advogado não tem nada de sem graça.

Enquanto advogado, prepare-se para visitar seus clientes, participar de audiências com juízes, reuniões de acordo com todos os lados do processo... O mais normal é bater perna por aí! Além disso, cada caso possui suas particularidades, então você sempre estará exposto a novas informações e perspectivas.

“Passar em um concurso público é muito difícil”

VERDADE! A aprovação em um concurso público é o desejo de boa parte dos estudantes de Direito, mas ela não vem fácil. Muitas vezes é preciso estudar por anos a fio antes de conseguir a colocação.

A concorrência é alta e bem qualificada, o que torna a aprovação realmente bem difícil. Mas isso não quer dizer impossível! Prepare-se com antecedência e estude bastante caso decida seguir por este caminho.

QUERO FAZER DIREITO. E AGORA?

Você já tem muitas informações sobre o curso de Direito, mas é sempre importante continuar buscando – afinal, escolher uma graduação é uma grande decisão para o seu futuro.

Procure profissionais que atuam na área e bata um papo com eles sobre o curso, o mercado de trabalho e o dia a dia. Converse com servidores públicos da área e concurseiros para entender mais sobre os caminhos de cada um. Leia nossos artigos e inteire-se sobre o mundo jurídico.

Além disso, pondere o que for melhor para você e a rotina que você tem hoje ou busca ter no futuro. Se você já está decidido, agora é buscar a faculdade ideal e estudar bastante! Não deixe de acumular experiências profissionais e acadêmicas ainda na graduação e especializar-se em uma área de seu gosto. Lembre-se: para o bom profissional sempre há espaço. Boa sorte nessa nova jornada!