Que atire a primeira pedra aquele que nunca ouviu de conhecidos e parentes a famosa questão: “E o concurso público?”. Brincadeiras à parte, a carreira pública vem ocupando um lugar primordial no debate sobre o futuro profissional de milhares de pessoas no país.

Em meio a tanta concorrência e precarização da atividade profissional, isso não é à toa. O funcionalismo público é uma ótima opção para aqueles que buscam o ingresso e permanência no mercado de trabalho.

Ser funcionário público significa iniciar a carreira em órgãos federais, estaduais ou municipais. A principal forma de ingresso é o concurso público. Por meio dele, os candidatos aprovados e com as exigências legais em dia são nomeados como servidores públicos e assumem seus cargos por tempo indeterminado.

Boa parte dos concursos públicos não exige experiência prévia, o que os torna uma ótima opção para jovens em busca do primeiro emprego. Além disso, a carreira pública possui diversos benefícios para profissionais em qualquer estágio da carreira. Isso a torna o grande sonho profissional de muitos brasileiros.

Mas nem tudo são flores. Quem busca a aprovação em um concurso público precisa conhecer os dois lados da moeda antes de desprender tanto tempo e dedicação para alcançar este objetivo. Por isso, separamos as maiores vantagens e desafios da carreira pública.

VANTAGENS

Estabilidade financeira e profissional

Uma palavra mágica em tempos de instabilidade social, política e econômica. Possivelmente o maior atrativo da carreira pública, a estabilidade é um grande diferencial do serviço público em relação à iniciativa privada.

O que isso significa? Na prática, a Constituição Federal garante que um servidor público não pode sofrer demissão sem justa causa. O mesmo não acontece para o trabalhador da iniciativa privada. Para ele, a lei oferece compensações como o direito ao seguro-desemprego e ao saque do Fundo de Garantia do Trabalhador Social (FGTS).

No entanto, não se sustenta o mito de que o servidor público possua o emprego completamente garantido. No geral, quem passa em um concurso público precisa cumprir três anos de estágio probatório, algo como um período de avaliação. Só depois desse período a estabilidade é garantida.

Além disso, o servidor público pode ser demitido caso cometa falta grave e seja tido como culpado em sindicância ou processo administrativo. Mas, para isso, é preciso haver uma sentença judicial em que é resguardada a ampla defesa do indivíduo.

Mas uma coisa é certa: a impossibilidade de demissão sem justa causa traz bastante estabilidade. Isso permite ao servidor público traçar maiores planos para o futuro como, por exemplo, a compra de um imóvel.

Plano de carreira e demais benefícios

Além da estabilidade financeira e profissional, outro grande atrativo do funcionalismo púbico são os planos de carreira. Os servidores públicos contam com sistema de cargos e salários bem estruturado e progressão por tempo de serviço.

Além disso, aqueles que investem em formação e capacitação profissional tem maiores chances de ascender profissionalmente. Na iniciativa privada, a especialização muitas vezes não traz garantia de retorno. Já na carreira pública, muitos órgãos possuem processos de avaliação de competência.

Na prática, isso significa que os servidores públicos que investirem em qualificação profissional muitas vezes receberão benefícios. Estes podem vir em forma de gratificação, aumento salarial ou mesmo aptidão para uma mudança de cargo.

A carreira pública também oferece benefícios além daqueles previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O principal deles é o adicional por tempo de serviço, em que ocorre um aumento percentual sobre o salário conforme os anos trabalhados. Ou seja: quanto mais tempo trabalhado, maior o aumento percentual. Os servidores públicos também contam com diversos tipos de licenças, remuneradas ou não.

Qualidade de vida

Quem não gostaria de mais tempo livre para curtir a família, amigos e seus hobbies? Na carreira pública, esse desejo muitas vezes é realidade!

Servidores públicos contam com cargas horárias mais curtas, fixas e não costumam ter necessidade de cumprir horas extras. Esta estrutura difere da iniciativa privada. Nela, muitas vezes os trabalhadores precisam trabalhar longas horas para ascender profissionalmente.

O mesmo não ocorre com frequência na carreira pública, já que existe o adicional por tempo de serviço e planos de carreira bem estruturados.

A estabilidade financeira do servidor público também contribui – e muito – para o aumento na qualidade de vida. Saber que seu emprego está garantido abre possibilidades para diversas formas de planejamento. Alguns exemplos são viagens, compras ao longo prazo e até uma maior tranquilidade para criar uma família.

Aposentadoria especial

A tão desejada estabilidade financeira também se estende ao período da aposentadoria. Afinal, quem não busca tranquilidade após tantos anos de dedicação ao trabalho?

No Brasil existem alguns tipos de aposentadoria. Muitas pessoas acreditam que o Instituto Nacional do Seguro Social, o famoso INSS, cubra todos os trabalhadores. Entretanto, a maioria dos servidores públicos conta com o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS).

Um contribuinte comum, independentemente de seu salário, possui chances de se aposentar recebendo o teto da Previdência. Em 2019, este teto é de R$ 5.839,45. Ou seja: um trabalhador da iniciativa privada pode receber um salário de R$ 10 mil reais, mas ao se aposentar verá sua renda atingir, ao máximo, um valor pouco maior do que a metade de seu salário mensal.

No geral, os servidores públicos que se aposentam pelo RPPS têm maiores salários que os profissionais aposentados pelo INSS. Caso atendam aos requisitos de emendas constitucionais aprovadas em 1998 e 2003, há possibilidade de aposentadoria com salário integral, bem como de reajustes conforme aumento salarial de servidores ativos.

A Nova Previdência dificultou o acesso ao salário integral e instituiu novas regras de idade e progressão. No entanto, ainda é possível dizer que os benefícios da aposentadoria na carreira pública são mais atrativos do que aqueles na iniciativa privada.

DESAFIOS

Preparo para o concurso público

Talvez o maior desafio da carreira pública aconteça antes mesmo de seu início oficial. Para tornar-se um funcionário público, inicialmente é preciso ser aprovado em algum concurso. E é aí que as coisas se tornam bastante complicadas.

Como são muitas as vantagens em seguir a carreira pública, milhares de pessoas em todo o país a tem como aspiração profissional. Por isso, a concorrência é grande: alguns concursos chegam a ter mais de 500 candidatos por vaga.

Por isso, é preciso desprender um grande esforço para conseguir a tão sonhada aprovação. O tempo de preparo e a dedicação antes da prova precisam ser extensos. São muitas horas de estudo, sendo preciso até abdicar de diversos afazeres não relacionados à preparação.

Além disso, alguns concursos públicos possuem provas bem exigentes, em especial os mais concorridos e com maiores salários.

Instabilidade pré-aprovação

A carreira pública tem na estabilidade o seu maior atrativo. Para alcançá-la, porém, é preciso passar por um período de grande instabilidade.

Além da alta concorrência e da grande dedicação antes mesmo de iniciar a carreira pública, quem tenta um concurso público o faz sem ter grandes certezas sobre o futuro.

Não é possível saber oficialmente quando o concurso desejado irá abrir, nem mesmo se será possível passar. E se o concurso abrir e a aprovação não chegar? E se demorarem mais 5 anos para a abertura do próximo concurso? E se, mais uma vez, a tão almejada aprovação não acontecer?

É preciso muito preparo emocional para lidar com tantas incertezas em conseguir ou não a vaga desejada após tanto tempo de dedicação e preparo. Por isso, a instabilidade pré-aprovação é um grande desafio para aqueles que buscam uma carreira pública.

Frustração profissional

Uma diferença grande entre a carreira na iniciativa privada e o funcionalismo público é a motivação profissional. No geral, as pessoas buscam em empresas privadas (ou no empreendedorismo) a oportunidade de correr atrás de sua atividade dos sonhos.

O funcionalismo público, por outro lado, costuma ser mais almejado por seus benefícios do que pela atividade a ser exercida. Muitas pessoas ao menos sabem qual rotina as espera após a aprovação. Isso ocorre devido à busca unicamente por estabilidade financeira e maiores salários.

Ao se depararem com uma rotina repleta de processos, papeladas e demais questões burocráticas, algumas pessoas podem sentir uma grave frustração profissional.

Condições de trabalho precárias

Ao pensar em carreira pública, em geral a imaginação nos leva aos grandes cargos como auditores fiscais, advogados da União e diplomatas.

Entretanto, a maioria dos servidores trabalha com funções menores em secretarias e organizações públicas. Por isso, em alguns locais as condições de trabalho acabam sendo precárias, com tecnologias defasadas e falta de estrutura.

Fica ainda mais fácil quando pensamos nos setores de saúde e educação públicas. Muitos profissionais dessas áreas encontram falta de materiais de qualidade, estruturas de trabalho precária e até mesmo cenas de violência recorrentes na rotina.

Apesar desta não ser uma realidade geral, ainda é um fator a ser levado em conta na hora de optar por um concurso público.

A carreira pública possui vantagens muito atraentes, mas não é a melhor escolha para todos. Por isso, coloque em uma balança os benefícios e desafios dessa escolha e avalie o que for melhor para o seu perfil profissional.

Antes de mergulhar de cabeça em uma maratona de estudos para conseguir a aprovação em um concurso público, converse com servidores públicos e informe-se sobre o cenário do funcionalismo no país.

E se após toda a consideração a sua escolha for correr atrás de uma carreira pública, nós temos apenas dois desejos: uma ótima preparação e boa sorte!