2020 foi um ano bem complicado, não é mesmo? Pandemia, isolamento social, alterações nos planos. Mas depois de muito sofrimento, o final do ano está chegando. E nisso chegam três datas que todo mundo ama. O Natal, o Réveillon e a Black Friday. Apesar de relativamente recente no país, a Black Friday já é bem esperada e programada por todos, desde os empresários até os clientes.

Direitos do Consumidor Black Friday 2020

A primeira Black Friday no Brasil aconteceu em 2010. Mas a data tem origem americana e não se sabe ao certo o ano que começou. Mas a ideia começou com os comerciantes, que para comemorar a retomada do comércio após o feriado de Ação de Graças, faziam grandes promoções e descontos para os clientes.

O feriado de Ação de Graças é celebrado na última quinta-feira de novembro e apesar da data não ser muito conhecida no Brasil, nos Estados Unidos ela é bastante celebrada.

Nos dias atuais, principalmente no ano de 2020, as compras online estão cada vez mais próximas de todos. Mas é importante ter conhecimento dos direitos do consumidor em uma data onde o consumo é tão intenso. O Código de Defesa do Consumidor, é a Lei nº 8.078, sancionada em setembro de 1990, traz todos os direitos dos consumidores e os deveres dos lojistas na relação econômica que acontece durante uma venda e compra.

Então, neste breve artigo, você vai ficar por dentro das dicas importantes para aproveitar as oportunidades são cair em golpes por aí.

3 dicas para você ficar atento antes de comprar

Dicas para o consumidor na Black Friday

A etiqueta

A etiqueta deve estar anexada diretamente ao produto e deve estar de forma acessível ao cliente. Ou, ao invés da etiqueta, pode utilizar uma lista com os preços e informações. Assim, não é necessário que o consumidor chame um vendedor para ter acesso a essas informações básicas. Além disso, é importante que os dados da etiqueta estejam legíveis e sem rasuras.

A norma vale tanto para o comércio físico quanto para o eletrônico.

O preço

Nada mais chato que ficar chamando o vendedor o tempo todo para saber o preço de algo. Ou ver uma roupa bonita na vitrine e ter que entrar na loja para saber o valor. E essa prática é proibida.

Os produtos devem ter o preço, tanto o valor a vista quando o valor parcelado (quando há diferença entre eles). Além disso, devem informar, também, o valor do juros, a quantidade de prestações e seu valor. Outras informações que podem a vir nessas situações também devem ser expostas.

Produtos com defeito

Muitas vezes, comprar algo com pequenos defeitos pode ser uma ótima oportunidade de aproveitar um bom desconto. Mas, é preciso que a loja deixe claro qual é o defeito do produto, tanto na hora da venda quanto na nota fiscal. Assim, evita que, futuramente, o consumidor reclame do problema que já estava ali no ato da compra.

Entretanto, se o produto com defeito for vendido como normal, o consumidor tem até 30 dias para reclamar, quando se trata de um bem não durável, e até 90 dias para reclamar de um bem durável. E após a reclamação, o fornecedor e o fabricante tem 30 dias para sanar o problema do produto.

Compras feitas na internet

Direitos do Consumidor compras na Internet

Prazo de arrependimento

Ainda existe muita gente com medo de comprar na internet por não saber como proceder se não gostar do produto ou ele não atender as expectativas. Por isso, compras feitas pela internet ou fora do estabelecimento comercial dão o direito de arrependimento ao consumidor. Assim, o consumidor tem até sete dias a partir da data de entrega do produto ou serviço para se arrepender.

Nessas situações, deve haver estorno do valor pago e todos os custos de devolução são pagos pela empresa. Algumas lojas e marcas oferecem um prazo maior para esse arrependimento. Basta procurar no site alguma parte que fale sobre isso.

Compra casada

Compra casada, ou seja, a compra de um produto é condicionada a compra de outro, é proibida pelo Código de Defesa do Consumidor. Então, fique atento a essas situações. É muito comum as empresas venderem a garantia estendida já embutida no preço do produto. Quando isso ocorre, a denúncia deve ser feita no Procon.

Prazo de entrega

A legislação não determina um prazo máximo para entrega da mercadorias, porém a loja deve informar a previsão de entrega. Quando o prazo é extrapolado o cliente deve acionar o SAC da empresa.

Nessa situação, na qual o prazo não foi cumprido, o cliente tem direito a escolher entre aceitar a entrega de outro produto equivalente ou similar, ou exigir que o produto seja entregue imediatamente ou cancelar o pedido e receber o dinheiro de volta, incluindo frete.

Atenção e boas compras

Além de tudo que já foi falado, é importante observar os valores antes de finalizar a compra. Sempre capture imagens da tela e salve, como o número do pedido e outras coisas importantes de serem registrada.

Fique de olho no sites e no valor do produto ou serviço. Lembre-se do ditado “quando a oferta é demais, o santo desconfia”. Então, desconfie de sites que estão oferecendo um produto muito abaixo do valor normal.

No mais, pense bem antes de comprar para evitar gastar dinheiro atoa. E é isso, boas compras e aproveite o Black Friday.