Um dos momentos mais aguardados na vida do trabalhador é a famosa aposentadoria. Milhares de pessoas esperam ansiosas pelo fim de uma longa jornada profissional e, com isso, receber o benefício e utilizar seu tempo de outra forma.

Aposentadoria INSS 2021

Alguns escolhem viajar, outros preferem buscar atividades de lazerou divertir-se com os amigos, e tem quem prefira aproveitar o tempo em casa. São inúmeras possibilidades! Nós até já demos algumas dicas de próximos passospara aqueles que, por acaso, possam ficar um pouco perdidos com esta nova fase da vida.

Mas todos sabemos que a buscar o benefício não é uma tarefa fácil. Além de um extenso período de contribuição, a aposentadoria pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) conta com diversas e complexas regras.

E o que já era confuso para muitos ficou ainda mais embaralhado com a chegada da nova Previdência. Mas fique tranquilo! Nós vamos te explicar tudo o que mudou na aposentadoria pelo INSS em 2021.

REGRAS DE TRANSIÇÃO

Regras de Transição

A Reforma da Previdência completou um ano em novembro de 2020 e trouxe uma série de mudanças para dar entrada no benefício da aposentadoria.

As principais delas são as mudanças nas regras de transição, que passaram a valer a partir do dia 01 de janeiro de 2021. Mas você sabe o que são as regras de transição?

As regras transitórias são uma forma de “meio termo”. Quem já contribuía com o INSS antes da Reforma, mas ainda não possui os requisitos necessários para dar entrada no benefício, precisa conhecer as regras que se modificam anualmente.

Vale lembrar! Os segurados que cumpriram todos os requisitos para a aposentadoria antes de 13 de novembro de 2019 e ainda não pleitearam o benefício, ou o fizeram em data posterior, podem ficar tranquilos. Segue valendo a regra anterior à Reforma.

Para planejar a aposentadoria com segurança e assertividade, é fundamental estar informado sobre as principais mudanças nas regras de transição:

Transição por Idade

A regra de aposentadoria por idade segue exigindo idade mínima de 65 anos para homens. Para eles, nada mudou.

Não é o caso delas. Para as mulheres, a idade mínima é de 60 anos. A partir de 2020, no entanto, serão acrescidos seis meses à idade mínima para a aposentadoria das mulheres a cada ano até chegar aos 62 anos em 2023.

Em ambos os casos segue a exigência de 15 anos como tempo de contribuição mínimo e carência de 180 meses.

Na prática, isso significa que a partir de 2021 as mulheres que se aposentarem por idade deverão ter no mínimo 61 anos. Quer saber mais sobre como funciona a aposentadoria por idade? Vem que a gente explica!

Transição por sistema de pontos

A regra do sistema de pontos estabelece um critério de pontuação a ser alcançado pelo trabalhador. A pontuação é o resultado da somatória entre o tempo de contribuição e a idade do segurado.

Nesta regra, o tempo mínimo de contribuição é estabelecido em 30 anos para as mulheres e em 35 anos para os homens.

Em 2020 a pontuação necessária para dar entrada no benefício era de 87 pontos para mulheres e 97 pontos para homens. A cada ano, porém, será acrescido um novo ponto até chegar a 105 pontos para homens (2028) e 100 pontos para mulheres (2033).

Neste ano, portanto, foi acrescentado um novo ponto, sendo atualmente exigidos 88 pontos para as mulheres e 98 para os homens.

Um exemplo prático: em 2020, um homem com 65 anos de idade e 32 anos de contribuição poderia se aposentar. Em 2021, porém, será preciso ter pelo menos 66 anos de idade e 32 anos de contribuição, de modo a completar os 98 pontos exigidos para os homens.

Esta é uma regra que tende a beneficiar aqueles que iniciaram cedo as contribuições ao INSS. É também a que atinge o maior número de trabalhadores, sendo aplicável para qualquer pessoa já inserida no mercado de trabalho.

Transição por tempo de contribuição + idade mínima

Por essa regra, a idade mínima para a aposentadoria é de 56 anos para as mulheres que possuam no mínimo 30 anos de contribuição. Para os homens com pelo menos 35 anos de contribuição, a idade mínima é de 61 anos.

A idade mínima exigida, porém, sobe a cada ano até que sejam atingidas as idades de 65 anos em 2027 (homens) e 62 anos em 2031 (mulheres).

A partir de 2021, quem desejar se aposentar por esta regra deverá ter idade mínima de 57 anos (mulheres) ou 62 anos (homens). Você pode saber mais sobre a aposentadoria por tempo de contribuição lendo nosso artigo aqui no blog.

Transição com pedágio de 50%

Aposentadoria Transição Pedágio

Por essa regra, os contribuintes que cumprem o tempo mínimo de contribuição em 2 anos a partir da aprovação da nova Previdência podem dar entrada no benefício sem completar a idade mínima. Importante reforçar: neste caso, a idade mínima é de 35 anos para homens e 30 anos para mulheres.

No entanto, quem escolher fazê-lo terá de pagar um pedágio de 50% do tempo restante. Para ficar mais claro, um exemplo: um segurado que esteja a um ano de aposentar deverá trabalhar mais 50% do tempo que resta, ou seja, seis meses – totalizando um ano e meio.

Para essa regra de transição, nada muda em 2021. Mas não se engane: há um porém!

Na regra do pedágio de 50% incide o fator previdenciário, um índice de cálculo criado em 1999 para permitir aposentadorias mais cedo, mas diminuindo seu valor.

Para determiná-lo, é utilizado uma fórmula matemática que envolve três componentes: tempo de contribuição, idade no momento da aposentadoria e a expectativa de sobrevida de acordo com o IBGE no ano de requerimento do benefício.

As projeções do IBGE apontam para um aumento da expectativa de vida a cada ano. Para o cálculo do fator previdenciário, quanto maior a expectativa, maior a tendência em reduzir o valor do benefício do INSS ou o tempo de contribuição para garantir o mesmo valor.

Apesar de não ser uma mudança na regra em si, a tabela da expectativa de vida subiu recentemente. Na prática, isso significa que em 2021 o segurado deverá trabalhar cerca de 2 meses a mais para manter o mesmo benefício que receberia em 2020.

Caso contrário, o fator previdenciário pode reduzir o valor final do benefício em até 40%. Portanto, para resguardar o valor da aposentadoria pela regra do pedágio de 50% em 2021, é importante estar ciente do fator previdenciário.

PLANEJE-SE!

A aposentadoria é um momento importante e aguardado para muitos, mas requer muita pesquisa e planejamento.

Com a Reforma da Previdência, muitas regras mudaram e a cada ano passarão por transformações. Por isso, é importante manter-se informado e buscar ajuda especializada para garantir segurança ao seu futuro. Mas, no caso de problemas em receber seu benefício, saiba que a previdencia.online está mais do que preparada para te ajudar.