Fazer uma viagem é o plano de muitas pessoas em época de férias. Muitos se planejam financeiramente, fazem o roteiro e querem mergulhar na cultura do país de destino. Se você perguntar para um grupo de pessoas um sonho que ela gostaria de realizar, com certeza, viajar está na lista de alguma delas. Seja sozinho, em família, em casal ou em um grupo de amigos, essa atividade traz muitos benefícios para quem pode ter essa experiência.

Quando escolhemos um país para visitar, queremos saber tudo sobre eles e aproveitar ao máximo a estadia no local. E a melhor forma de desbravar um lugar é conhecer sua história e cultura. É possível fazer isso através da gastronomia, locais turísticos, costumes e também através da arte.

Através de uma obra de arte, por exemplo, é possível entender o contexto histórico da sociedade.

A arte é um dos maiores atrativos da cultura de um país. Muitas pessoas se deslocam de grandes distâncias para conhecer museus, peças de teatro, musicais e obras de arte. Todas elas trazem muitas reflexões e agregam muito mais valor a uma experiência turística.

Através de uma obra de arte, por exemplo, é possível entender o contexto histórico da sociedade e entender como se deu as mudanças políticas, históricas e de costumes daquele país.

É normal que muitas pessoas conheçam peças mundialmente famosas, como Mona Lisa ou Abaporu, mas hoje iremos te dar mais 10 motivos para pegar um avião e conhecer outras obras. Conheça as 10 obras de artes mais famosas do mundo.

Prepare-se para uma leitura que te levará a vários lugares do mundo!

Observação: muitas obras possuem regras rígidas de copyright. Por conta disso, imagens de algumas delas não podem ser veiculadas sem autorização prévia. Assim, faremos uso de imagens ilustrativas, mas sinta-se livre para pesquisá-las em qualquer site de buscas!

Mona Lisa significa "Senhora Lisa", também conhecida como A Gioconda.

1. Mona Lisa

Esta obra é uma das mais conhecidas no mundo. Criada por Leonardo da Vinci, em 1503, Mona Lisa fica no museu do Louvre em Paris.

Mona Lisa significa "Senhora Lisa", também conhecida como A Gioconda, "A sorridente", ou "La Joconde", em francês. Essa é a obra mais notável e conhecida desse grande nome do Renascimento Italiano.

Nesta obra, o artista concebeu a técnica sfumato. Aqui é representado uma mulher cuja a expressão é introspectiva e tímida. Possui um sorriso sedutor, restrito e conservador. O corpo representa o padrão de beleza da época.

A pintura foi trazida da Itália para a França pelo próprio Leonardo, em 1506. Mas, só após a Revolução Francesa, em 1799, que o quadro foi exposto no Museu do Louvre.

Você sabia que, cerca de 400 anos após ser pintada, a Mona Lisa foi roubada? Pessoas como o poeta francês Guillaume Apollinaire e o pintor espanhol Pablo Picasso foram interrogadas e presas sob suspeita de roubo, mas foram soltos meses mais tarde. O verdadeiro ladrão foi Vicenzo Peruggia, um antigo empregado do museu na Itália.

Outras pessoas também tentaram danificar a obra jogando ácido e pedras e até uma xícara de café contra ela, mas a obra foi restaurada.

Segundo especialistas, este quadro é considerado um dos mais famosos na história da arte,  e um dos mais valiosos também.

2. A Fonte

A Fonte é nada mais, nada menos, que um urinol de porcelana branco. É considerado uma das obras que mais representam o dadaísmo na França, criada por Marcel Duchamp em 1917.

Duchamp foi um importante artista francês do início do século XX. Foi um dos responsáveis pela criação do dadaísmo, que revolucionou a maneira de criar e apreciar arte no ocidente.

O principal foco do dadaísmo era questionar o papel da arte e trazer à tona essas questões no contexto da Primeira Guerra Mundial.

A história de "A Fonte" diz que havia uma exposição em que os artistas podiam inscrever suas obras e pagar um valor para exibi-las. Duchamp enviou o mictório  e o trabalho foi rejeitado naquele ano, mas ganhou notoriedade no ano seguinte.

Em 2006, em Paris, o objeto foi alvo de vandalismo por um Francês. O Vândalo atacou a obra com um martelo e alegou que era uma performance artística apreciada pelo próprio Duchamp. A obra sofreu escoriações leves  o senhor foi detido. Atualmente, a obra encontra-se na Espanha.

Ela representa um episódio do livro de Gênesis.

3. A Criação de Adão, Michelangelo Buonarroti

Esta obra criada em 1511 foi pintada no teto da Capela Sistina no Vaticano. Ela representa um episódio do livro de Gênesis, no qual retrata a criação de Deus do primeiro homem: Adão.

A figura de Deus é representada como um homem idoso com barba, que está envolvido em um manto com alguns anjos. Seu braço esquerdo está unido a uma figura feminina, interpretada como Lilith. Lilith se trata da mulher que ainda não foi criada por deus, e aqui está representada como se estivesse a espera do criador para ganhar sua forma humana. O braço direito da figura de Deus está esticado para dar a vida a sua criatura. Adão recebe este poder ao tocar com a ponta dos dedos.

Muitas interpretações são feitas, mas a mais recente chamam a atenção para o formato de um cérebro na pintura. Na parte onde Deus está representado, estariam ali diferentes partes do cérebro. O que contribui para essa hipótese é que, na época, o Homem era o centro de tudo e valorizavam suas descobertas científicas e filosóficas.

A obra de arte faz parte do Renascimento, entre o final do século XIV e o começo do século XVI. Esse movimento é caracterizado pela redescoberta do mundo e do Homem. Seu princípio fundamental era o Humanismo, que afastava a escrituras dos estudos. Na mesma linha, surgiu o Racionalismo, que defendia que a verdade só poderia ser conhecida através da razão humana.

A pintura foi criada a pedido do papa Júlio II. Na época, Michelangelo se sentiu pressionado a aceitar o convite do papa Júlio II para pintar o teto da Capela Sistina. Isso aconteceu pois, o artista preferia se concentrar no seu trabalho como escultor.

Outra curiosidade é que, a parte do encontro entre os dedos indicadores de Adão e Deus foi danificada por um desabamento. A pintura como vemos hoje foi pintada por um restaurador do Vaticano.

Imagem ilustrativa. Você pode conferir a obra em qualquer site de pesquisas!

4. Medusa

Essa obra é conhecida por retratar a figura mitológica de Medusa. É uma figura representada por uma mulher que possui serpentes no lugar dos cabelos. Além disso, possui o poder de transformar pessoas em pedra quando olham diretamente em seus olhos.

Essa tela foi pintada em 1597 por Caravaggio, um dos pintores italianos mais notáveis. Para conferir essa obra, você precisa visitar a Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália.

Essa pintura foi feita a óleo sobre uma tela montada sobre madeira. A pintura teve duas versões, uma em 1596 e outra em 1597. A primeira versão também é conhecida como Murtula, sobrenome de um poeta que escreveu sobre essa obra.

Medusa passa uma imagem emocionante e perturbadora, e representa bastante a cultura contemporânea. Ela é uma das três Górgonas, ao mesmo tempo que era uma figura bonita também era monstruosa. Na mitologia, Medusa é destruída pelo seu próprio reflexo.

A pintura registra o exato momento em que a cabeça de Medusa acaba de ser cortada. O sangue ainda jorra e há muito realismo em sua expressão facial. Ela transmite sensação de medo e sofrimento. Muitos dizem que o rosto de Medusa foi inspirado no pintor, que usou um espelho para captar suas expressões.

Leia também:

5. A Última Ceia

Essa também é outra obra muito famosa de Leonardo da Vinci. O afresco representa a última Ceia de Jesus Cristo com seus apóstolos. Ele se reúne antes de ser preso e crucificado.

A última Ceia ficou pronta em 1498 e encomendada por Duque Ludovico Sforza, que doou a pintura para a igreja católica. Atualmente, a obra está no convento de Santa Maria delle Grazie, em Milão, na Itália.

O tema da última Ceia era tradicional a local de refeitórios monásticos, mas a interpretação do pintor deu a obra ainda mais realismo e profundidade à cena representada.

Essa obra também sofreu alguns tipos de danos como o bombardeio na Segunda Guerra Mundial, e uma abertura de uma porta pelos padres do monastério no século XVII.

Da Vinci soube captar as mais diversas expressões psicológicas humanas nos rostos dos apóstolos. Antigamente, captar tais reações era mais difícil. Além dos rostos, outros detalhes como o drapeado da toalha e das roupas impressionam.

Uma das polêmicas que envolvem essa obra, é a que diz que quem está sentado à direita de Jesus é Maria Madalena, e não João, como dizem.

A obra é considerada a primeira do Alto Renascimento, devido ao seu alto nível de harmonia.

Imagem ilustrativa. Você pode conferir a obra em qualquer site de pesquisas!

6.O Nascimento de Vênus

O Nascimento de Vênus é uma pintura de Sandro Botticelli e está exposta na Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália.

A obra, de 1485, foi encomenda de Lorenzo di Pierfrancesco de Médici para a Villa Medicea di Castello. Ela representa a deusa Vênus emergindo do mar, já adulta, conforme a mitologia romana. Na história, ela é empurrada para a margem por Zéfiro, o vento que sopra do Oeste, e a Hora, uma das deusas das estações, cobre Vênus com um manto de flores. Enquanto isso, ela esconde o sexo com seus cabelos ruivos e longos.

A tela é um ícone do Renascimento e foi concebida depois de uma viagem à Roma. Botticelli teve acesso a muitas obras de cultura greco-romana e, quando voltou para casa, se inspirou no que viu. Assim, começou a pintar cenas baseadas na mitologia grega.

Em "O Nascimento de Vênus", obra Renascentista, quatro elementos se destacam. Vênus possui uma beleza clássica, pura e casta. Suas curvas são enfatizadas e seu cabelo contorna o corpo até proteger o seu sexo. Os deuses do vento sopram Vênus em direção à terra, enquanto rosas caem. Segundo a mitologia, as rosas nascem quando Vênus põe o pé em terra firme, fazendo referência ao amor.  

A Deusa da Primavera está a espera de Vênus para cobri-la e protegê-la. Ela representa a renovação e tudo o que floresce na primavera. A concha simboliza fertilidade e prazer, e o formato remete ao sexo feminino.

7. Abaporu

Essa é uma das principais obras do período antropofágico do movimento modernista no Brasil. Abaporu é uma pintura a óleo da artista brasileira Tarsila do Amaral.

É a tela brasileira mais valorizada no mercado mundial das artes, estimada em US$40 milhões. Em 1995 ela foi comprada pelo colecionador argentino Eduardo Costantini em um leilão. Para conferir a obra de perto, é necessário visitar a exposição no Museu de arte latino-americana de Buenos Aires.

A tela é de 1928 e é considerada uma obra-prima da autora, que ofereceu a obra ao seu marido, o escritor Oswald de Andrade, como presente de aniversário.

O quadro remete a valorização do trabalho braçal, por isso a mão e o pé enormes. E também a desvalorização do trabalho mental, por isso a cabeça minúscula.

O termo "Abaporu" é originado do tupi-guarani e significa "homem que come gente". As características dessa obra são as cores fortes, temas imaginários e alteração da realidade. O verde, amarelo e azul também se destacam por fazer referência ao Brasil. O cacto é sobre a vegetação de regiões secas.O sol simboliza as condições de trabalho duras que eram impostas aos funcionários rurais.

Imagem ilustrativa. Você pode conferir a obra em qualquer site de pesquisas!

8. A Persistência da Memória, Salvador Dalí

A pintura de 1934 do surrealista Salvador Dalí está localizada no Museu de Arte Moderna, em Nova Iorque.

É uma obra muito conhecida e frequentemente é usada como referência na cultura popular. Na biografia do pintor, ele conta que foram necessárias duas horas para pintar a maior parte da obra. Neste dia, Dalí conta que se sentia cansado e com dor de cabeça. Enquanto aguardava sua esposa e amigos voltarem do teatro, pintou "A Persistência da Memória". Sua esposa quando viu a pintura, Dalí descreveu sua reação como a "contração inequívoca de espanto e admiração".

O surrealismo nasceu na literatura e prega uma grande liberdade na hora de criar. O foco era se afastar o que era formal e buscar o inconsciente, o que fugia a realidade.

O resultado disso, como na obra de Dalí, é uma Arte simbólica, com muitos elementos irracionais. Ela sai do lugar de objeto cotidiano e do convencional. Por isso, existem diversas interpretações para essa obra. Os relógios derretidos representam um tempo que dá uma noção de tempo distorcida.

O único relógio que não está deformado está com formigas sobre ele. Inseto que não era muito bem visto pelo artista. Talvez isso mostre um certo desprezo de Dali pelo objeto que marca o tempo.  Dalí explora a noção subjetiva do tempo, pois a própria figura do pintor aparece dormindo embaixo de um dos relógios derretidos.  Em meio às figuras distorcidas, existem representações reais como o fundo de paisagem.

Imagem ilustrativa. Você pode conferir a obra em qualquer site de pesquisas!

9. O Grito

A obra "O Grito" foi pintada pelo artista norueguês Edvard Munch, em 1893. Ela pertence a uma série de quatro pinturas. Ela representa uma figura andrógina em um momento de muita angústia e desespero existencial. O plano de fundo é a doca de Oslofjord, em Oslo, no pôr do sol. A arte de Munch pertence ao movimento expressionista e é uma das mais importantes, inclusive, adquiriu um estatuto de ícone cultural.

Atualmente, as versões de O Grito estão em museus e uma está na posse de um empresário americano. As telas do norueguês são densas e abordam temas difíceis como solidão, melancolia, ansiedade e medo. Essa obra revela várias características de Munch, como a força expressiva das linhas, redução das formas e o valor simbólico da cor.

A pintura retrata organização confusão, caos e uma beleza perturbadora.

10. Doze girassóis numa jarra

Vincent van Gogh é um nome muito conhecido entre os artistas do mundo. O holandês foi o autor da pintura Doze girassóis numa jarra após a sua chegada ao sul da França. O pintor passou a utilizar efeitos de cores e de luz com muito mais intensidade e essa obra a junção desses efeitos.

Você sabia? Ao longo de toda sua trajetória, Van Gogh só vendeu um quadro e seu reconhecimento mundial só veio depois da sua morte . Atualmente, o quadro está exposto em Neue Pinakothek, em Munique.

Esta obra teve 10 versões. A cor amarela prevalece na imagem e trazem uma organização de um buquê floral não convencional. A pintura retrata organização confusão, caos e uma beleza perturbadora através dos girassóis retorcidos.

Não importa o destino, procure conhecer a história do local através das obras de arte.

Uma viagem de conhecimento…

A arte tem a capacidade de nos levar para outras dimensões, sejam elas históricas, culturais ou turísticas. Ela é responsável por reafirmar as culturas e tradições, muitas delas nos colocam em conflitos com nosso próprio eu. Por isso, quando escolhemos um destino de viagem é tão importante visitar os museus do local e entender quais obras de arte fazem parte daquele local e contexto.

Se for visitar uma cidade pequena ou um país, não importa o destino, procure conhecer a história do local através das obras de arte. Aproveite e saia de lá com ainda mais conhecimento e curiosidades sobre o local, assim você vive uma experiência intensa e marcante no país que visitou.

Essas foram algumas obras de artes que são muito famosas pelo mundo, mas com uma pesquisa você consegue encontrar outras tantas peças que marcaram história e que valem a pena conhecer.